Sabia que as crianças também sofrem de depressão?

Sabia que as crianças também sofrem de depressão?

Muitos pais questionam se o sentimento do filho é normal ou é uma depressão.

Estudos referem-nos que cerca de 2% das crianças sofrem de depressão, número esse que aumenta para 10% na adolescência.

O que precisa de saber sobre depressão?

A depressão em crianças e adolescentes é uma realidade cada vez mais comum na nossa sociedade, mas será que uma criança que começa a isolar-se mais no quarto e sem vontade para sair de casa está com depressão?

Esta e muitas outras questões são pertinentes e por isso importa perceber que uma criança ou adolescente parecer triste e mais fechado em si próprio não significa necessariamente que ele tenha uma depressão, mas se essa tristeza for persistente e começar a interferir no rendimento escolar, na vida familiar, nas atividades sociais e interesses pessoais, pode indicar que a criança esteja a deprimir.

Que sinais e sintomas deve ter em conta?

Não chega apenas verificar um sentimento de tristeza persistente na criança ou adolescente. Os sintomas de depressão podem variar e serem confundidos com mudanças emocionais e psicológicas normais que ocorrem durante o desenvolvimento.

Assim, há que ter em conta alguns sinais e sintomas:

  • Isolamento Social
  • Irritabilidade ou agressividade verbal
  • Tristeza e desespero persistente, sentimento de inutilidade
  • Maior sensibilidade à rejeição
  • Aumento ou diminuição no apetite
  • Alterações no sono – insónia ou sono excessivo
  • Dificuldades atencionais
  • Birras ou choro intenso
  • Fadiga física e cansaço excessivo
  • Queixas físicas (como dores de estômago, dores de cabeça)
  • Pensamentos de morte ou suicídio e consumo excessivo de álcool ou drogas (mais propicio na adolescência)

Todos estes sintomas podem variar nos diferentes estágios de desenvolvimento e certo é que, em ambientes familiares bem estruturados os sintomas podem parecer camuflados, a maioria das crianças com depressão sofrerão uma mudança significativa quer ao nível escolar, social e/ou pessoal.

 É a tendência natural para os pais quererem “consertar” ou de alguma forma acabar com isso, mas a depressão é complicada. Contudo, com o tratamento e o apoio adequado, a criança pode prosperar e desfrutar da sua infância.

Esteja em alerta aos sinais e sintomas que o seu filho pode apresentar. Quando der conta que ele não está a conseguir gerir bem alguma situação ou que a mesma está fora de controlo, não espere que ele lhe peça auxílio e PROCURE  AJUDA PROFISSIONAL.

Paulo Dias – Neuropsicólogo e Hipnoterapeuta na Clínica Dr. Alberto Lopes.

Partilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

3 + two =