Quais são os sinais de que uma criança está a ter problemas de sono?

Quais são os sinais de que uma criança está a ter problemas de sono?

Os problemas de sono referem-se a dificuldades persistentes em adormecer, manter o sono ou acordar muito cedo. Essas dificuldades podem ter um impacto significativo no bem-estar emocional, no funcionamento cognitivo e no comportamento das crianças e adolescentes. Os problemas de sono podem ser causados por uma variedade de fatores, incluindo stress, ansiedade, mudanças no ambiente ou hábitos de sono inadequados. Este problema pode resultar em dificuldades de concentração, irritabilidade, fadiga excessiva, baixo rendimento escolar e problemas de saúde a longo prazo e de forma mais preocupante em perturbação de ansiedade e depressão.

Os sinais de problemas de sono em crianças e adolescentes podem variar, mas incluem:

  1. dificuldades em adormecer;
  2. despertar frequente durante a noite;
  3. terrores noturnos;
  4. resistência em acordar de manhã;
  5. sonolência excessiva durante o dia;
  6. irritabilidade constante;
  7. mudanças no apetite;
  8. alterações no humor;
  9. dificuldades de concentração;
  10. medo excessivo e muitas vezes irracional;

Por exemplo, uma criança ou adolescente que costumava ter um padrão regular de sono, mas recentemente começou a ter dificuldades em adormecer à noite e acorda frequentemente durante o sono. Sente-se constantemente cansado durante o dia, demonstrando sonolência excessiva que afeta sua concentração e desempenho escolar. (o exemplo é meramente ilustrativo porque os sinais podem variar de pessoa para pessoa)

Em que momento os pais devem procurar ajuda terapêutica?

A procura de ajuda especializada deve ocorrer quando os pais percebem que as estratégias habituais não estão a ajudar a criança ou adolescente a superar o sofrimento e dor emocional que o problema possa estar a causar.

Por isso, os pais devem estar atentos:

  1. Persistência dos sintomas: Se os sintomas persistirem ou piorarem apesar das estratégias de intervenção dos pais e do apoio familiar;
  2. Impacto na vida diária: Se o problema do filho estiver a afetar significativamente o seu funcionamento diário, como na escola, em casa ou nos relacionamentos;
  3. Preocupações persistentes: Se os pais estiverem constantemente preocupados com a saúde mental do seu filho e não souberem como lidar com os problemas apresentados, procurar orientação pode ser benéfico para toda a família.

Paulo Dias – Neuropsicólogo e Hipnoterapeuta da Clínica Dr. Alberto Lopes

Partilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

2 × four =

× Como posso ajudar?