O que são hábitos disfuncionais em crianças e adolescentes?

O que são hábitos disfuncionais em crianças e adolescentes?

Hábitos disfuncionais podem ser considerados problemas originados pela falta de controlo sobre o seu próprio corpo, como a enurese, encoprese, tiques e hábitos.

A enurese e a encoprese envolvem a incapacidade de controlar a micção e evacuação, respetivamente, em crianças que já deveriam ter adquirido esse controlo. A enurese refere-se à perda involuntária de urina, enquanto a encoprese está associada à incontinência fecal. Estas problemáticas podem ter um impacto significativo no bem-estar emocional e social das crianças e adolescentes, resultando em vergonha, isolamento e baixa autoestima, reforçando uma autoimagem negativa, dificuldades de interação social e stress emocional, contribuindo para o desenvolvimento de perturbações como ansiedade ou depressão.

Os sinais de enurese e/ou encoprese em crianças e adolescentes podem variar, mas incluem:

  1. episódios repetidos de incontinência urinária durante o dia (mais raro) ou a noite (mais comum);
  2. passagem repetida e involuntária de fezes em locais inadequados.

Por exemplo, uma criança que regularmente faz xixi na cama durante a noite, mesmo depois de ter adquirido o controlo da bexiga durante o dia. Além disso, ela pode sentir vergonha em relação ao problema, evitando dormir fora de casa. Esses sinais persistentes de incontinência urinária durante a noite, juntamente com sentimentos de vergonha e evitação de situações sociais relacionadas ao sono, podem indicar a presença de enurese. (o exemplo é meramente ilustrativo porque os sinais podem variar de pessoa para pessoa)

 

Os tiques e hábitos referem-se a comportamentos repetitivos e involuntários que podem afetar crianças e adolescentes, influenciando de forma negativa o seu bem-estar físico e emocional. Os tiques são movimentos motores ou vocais repetitivos, enquanto os hábitos podem envolver comportamentos que são realizados de maneira automática e muitas vezes não têm uma função específica.

Os sinais de tiques e hábitos em crianças e adolescentes podem variar, mas incluem:

  1. movimentos rápidos e repetitivos, como piscar os olhos, movimentar o pescoço ou tossir frequentemente;
  2. ações repetitivas, como roer as unhas, chupar o dedo ou arrumar objetos de maneira obsessiva.

Por exemplo, uma criança que demonstra comportamentos repetitivos, como piscar os olhos e franzir a testa várias vezes ao longo do dia, mesmo em situações em que não está nervoso ou ansioso. Além disso, ele mantém um hábito de arrumar os brinquedos numa ordem específica antes de dormir todas as noites, recusando-se a mudar esse padrão de comportamento. Esses sinais persistentes de movimentos repetitivos involuntários, juntamente com comportamentos habituais e rígidos, podem indicar a presença de tiques e hábitos. (o exemplo é meramente ilustrativo porque os sinais podem variar de pessoa para pessoa)

Em que momento os pais devem procurar ajuda terapêutica?

A procura de ajuda especializada deve ocorrer quando os pais percebem que as estratégias habituais não estão a ajudar a criança ou adolescente a superar o sofrimento e dor emocional que o problema possa estar a causar.

Por isso, os pais devem estar atentos:

  1. Persistência dos sintomas: Se os sintomas persistirem ou piorarem apesar das estratégias de intervenção dos pais e do apoio familiar;
  2. Impacto na vida diária: Se o problema do filho estiver a afetar significativamente o seu funcionamento diário, como na escola, em casa ou nos relacionamentos;
  3. Preocupações persistentes: Se os pais estiverem constantemente preocupados com a saúde mental do seu filho e não souberem como lidar com os problemas apresentados, procurar orientação pode ser benéfico para toda a família.

Paulo Dias – Neuropsicólogo e Hipnoterapeuta da Clínica Dr. Alberto Lopes

Partilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

14 + 4 =

× Como posso ajudar?