Birras, como posso lidar com elas?

Birras, como posso lidar com elas?

Alguma vez deu por si num hipermercado a passar a correr pelos corredores dos brinquedos com a esperança que o seu filho não olhe nessa direção? Se sim, é porque o seu filho certamente já fez alguma birra nesse local. Esta é uma de inúmeras situações em que muitos pais já desesperaram ou sentiram-se extremamente envergonhados com a atitude do seu filho.

Em determinadas situações a criança pode encontrar-se no ponto em que a linguagem termina e o comportamento continua a falar. Quando se sentem frustradas tendem a ter dificuldade em expressar os sentimentos por meio de palavras e na maioria das vezes, pode resultar numa explosão de emoções intensas que terminam em comportamentos desajustados (birras).

Embora muitos destes comportamentos possam ser justificados como parte do desenvolvimento da criança, continuam a ser um enorme desafio para os pais.

Não existem estratégias universais para todas as crianças, muito menos uma chave que abra todas as fechaduras, porque cada criança é única e não existe uma igual à outra, mas aprender algumas estratégias pode ajudar os pais, em determinadas situações, a lidar com este tipo de emoções e comportamentos.

Dicas para aprender a lidar com Birras

1. Identificar sinais precoces

Esteja atento ao seu filho, por norma antes de uma birra, pode expressar um ou mais destes sinais: Choramingar; Agitabilidade; Implorar; Irritabilidade. Ao identificar alguns destes sinais, irá ajudá-lo (adulto) a ter consciência para a iminência de uma birra e assim poderá no futuro começar a antecipar estratégias para controlar/evitar esse comportamento.

2. Permitir que volte à realidade

Embora não seja fácil, mas em público ou em casa mantenha a calma e permita que o seu filho termine um episódio de birra. Seja consistente para que ele perceba que é você que tem o controlo da situação.

3. Descobrir o gatilho

Depois de uma birra, converse com o seu filho para saber o que o deixou com raiva, triste ou irritado. Isso poderá ajudá-lo a começar a perceber quais as situações em que ele deve aprender a ter controlo dos seus impulsos.

4. Distrair o seu filho

Sempre que sentir que o seu filho está na eminência de ter um “colapso emocional”, procure desviar a sua atenção para outra coisa. Isso irá ajudá-lo a sentir-se mais calmo.

5. Dar escolhas limitadas

Geralmente, quando as crianças têm muitas opções para escolher, tendem a ficar confusas e podem exigir todas as opções. Forneça ao seu filho uma escolha muito limitada, limitando-o a duas ou no máximo três opções.

6. Definir um tempo certo

Por vezes contar os seus planos com muita antecedência pode gerar uma oportunidade de fazer birra. Procure explicar os seus planos 10 minutos antes, assim ele terá muito menos tempo para reagir.

7. Permitir explosões ocasionalmente

Em determinadas situações permita que o seu filho possa expressar as suas emoções. Dê-lhe tempo para lamentar, gritar ou chorar, pois isso poderá ajudá-lo a sentir-se melhor.

 

É certo que ao longo da sua vida a criança irá encontrar soluções para lidar com a sua frustração de uma forma mais equilibrada, contudo em muitas situações quando a intensidade dessas explosões emocionais tornam-se frequentes, talvez seja necessário PROCURAR AJUDA TERAPÊUTICA, seja para ensinar a crianças a gerir as suas emoções ou mesmo os pais a lidarem com esses comportamentos desajustados.

 

Paulo Dias – Neuropsicólogo e Hipnoterapeuta na Clínica Dr. Alberto Lopes.

Partilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

twelve + twenty =